đŸ—“ïž No dia 13 de janeiro de 2024, policiais civis catarinenses receberam informaçÔes de policiais civis gaĂșchos sobre a possibilidade de um chefe de facção estar residindo na comarca de Garopaba.

đŸ”čContra o indivĂ­duo pesava mandado de prisĂŁo pelo crime de homicĂ­dio; todavia, segundo informaçÔes da PolĂ­cia Civil GaĂșcha, apontam para o seu envolvimento em uma guerra de facçÔes ocorrida no estado vizinho. Assim, foram realizadas diversas diligĂȘncias para verificar tais informaçÔes e identificar o local 📍em que o foragido estava homiziado.

â–ȘDepois de diversas campanas no local, campanas estas realizadas tanto por policiais civis quanto por policiais militares, um policial civil que passava pelo local avistou o foragido saindo da residĂȘncia identificada anteriormente e, apĂłs segui-lo pela cidade, aproveitou um momento de distração e efetuou a prisĂŁo deste no interior de uma farmĂĄcia garopabense. Imediatamente, houve acionamento das equipes da PolĂ­cia Civil e PolĂ­cia Militar que compareceram ao local e conduziram o foragido para a delegacia e, em seguida, para o presĂ­dio de Imbituba.

🔾A PolĂ­cia Civil gaĂșcha imediatamente deslocou para a comarca de Garopaba e requereu judicialmente o encaminhamento do foragido para o sistema penitenciĂĄrio gaĂșcho, visando dar andamento Ă s investigaçÔes.

Entenda a caso:đŸ”»
https://www.correiodopovo.com.br/not%C3%ADcias/pol%C3%ADcia/quem-%C3%A9-o-principal-alvo-da-a%C3%A7%C3%A3o-contra-grupo-que-movimenta-r-1-milh%C3%A3o-por-semana-em-porto-alegre-1.1406840

Fonte: POLÍCIA CIVIL

NotĂ­cias Relacionadas