A Amizade


A amizade, no geral, começa por uma admiração que cria simpatia, e isso faz com que um se sinta implicado pela vida e sentimentos do outro. Durante esse período de caminhada a amizade encontra seu maior desafio quando se depara com os limites e defeitos alheios. É quando vamos conhecendo o outro de verdade e aí entra a amizade de verdade que é quando se dedica amor apesar daquilo que não se gosta e dos erros que possa o outro cometer. A amizade madura implica necessariamente no reconhecimento das diferenças, tanto das nossas como as do amigo. Quando a amizade é autentica, acolhe-se o outro apesar da sua diferença. Às vezes, por amar alguém, permanecemos junto delas, suportando coisas que nos desagradam. Assim deve ser com os verdadeiros amigos. O ponto central aqui não é a discordância, mas no que decorre disso. Das relações todas, as de amizade são as mais poéticas. Isso porque a amizade é um amor que nunca morre, como nos disse Mário Quintana. Dos amores mais gratuitos, a amizade enriquece, verdadeiramente, a vida de quem a tem. Há muitas maneiras de se viver a amizade, revelando a sua força e beleza, que tanto sentido dá à vida. Quem tem um amigo encontrou um tesouro, ensina-nos o livro do Eclesiástico. Você já encontrou o seu tesouro?

Diácono Carlinhos

Fechar Menu