A correria da vida

Pode ser que muita gente não perceba mas a vida se tornou num corre-corre infernal e mais ainda, desumanizador. Passamos a viver em torno de uma frase que nos ensinaram e tomamos como fonte de verdade: “tempo é dinheiro”. Com isso, de modo frenético e afobado, estamos diariamente a nos entregar, de corpo e alma, em busca dessa realização na qual penso: “não posso parar”, “não posso perder tempo” e assim vamos vendo o deus do tempo a nos devorar. Tudo isso para prestar culto a um outro deus, o deus dinheiro que promete nos libertar no futuro das garras sufocantes do tempo, porque pensamos: “quando eu acumular muito dinheiro terei tempo para viver”. E assim aceitamos sacrificar o nosso presente. Com isso não temos mais tempo para assimilar as experiências vividas, as lições diárias que a vida gratuitamente nos oferece. A educação, o amor, o respeito, experiências humanas estruturantes da vida, não funcionam sem dedicarmos tempo e um devido cultivo da paciência. Aí, de fato, entendemos que a pressa é sim uma grande inimiga da vida humana, pois não temos mais tempo disponível para contemplar coisa alguma. Viva o tempo de hoje, um dia de cada vez, como se fosse sempre o último.

Diácono Carlinhos

Fechar Menu