Afogamento, fique atento com as crianças:

Diariamente uma criança se afoga em casa. As piscinas são responsáveis por 3% de todos os casos de óbito por afogamento, atingindo 59% a faixa de 1 a 9 anos de idade, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa).
Evite os afogamentos com alguns cuidados
Nas piscinas sempre tenha uma barreira física, para evitar o acesso de crianças;
as crianças só devem estar na área de piscina ou dentro dela se houver um adulto supervisionando;
se for em um clube, hotel ou pousada, se possível procure locais com a prevenção de guarda-vidas;
tenha um telefone carregado e verifique se a área possui sinal, para utilização em casos de emergência;
não sabe nadar? Use coletes salva vidas – nunca boias – nem mesmo em crianças, já que dão a falsa sensação de segurança;
se você for entrar na água tenha alguém observando, já que por mais que saiba nadar você pode ser acometido de um mal estar ou mal súbito, podendo tornar-se uma vítima;
nunca mergulhe de cabeça, pois pode causar mortes ou paralisia;
não entre na água após ingerir bebidas alcoólicas ou fazer uma refeição recente;
materiais flutuantes devem ficar sempre à mão, para o caso de necessidade;
não permita que crianças fiquem sozinhas na piscina e evite deixar brinquedos no local;
nas piscinas também recomenda-se um ralo antiaprisionamento, pois evita que crianças e adultos fiquem presos pelos cabelos e membros.
Ambiente doméstico
Mantenha portas de áreas de serviço e banheiros fechadas;
guarde recipientes como baldes e bacias de cabeça para baixo;
mantenha cisternas, tonéis, poços e outros reservatórios domésticos sempre trancados.

Fonte: Bombeiros

Notícias Relacionadas