Amor próprio

Hoje gostaria de falar um pouco de amor. Logo nos vem à mente aquele amor que te faz sofrer e chorar ou aquele que te enche de ciúmes, não. Quero falar do amor que te faz bem, que te torna alguém melhor, mais humano, mais forte, mais sensível, mais você! Sim, um amor que começa lá dentro do coração, ele começa de dentro e transborda para fora. É quando aprendemos a nos amar e nos aceitar que então poderemos amar também o próximo. Para isso é preciso ter carinho e afeto consigo próprio. Porém, esse amor-próprio também exige dedicação, esforço e treino. Para isso acontecer eu preciso olhar para dentro, perceber minhas forças e fraquezas. A partir daí o amor vai acontecendo. É um amor verdadeiro por nós mesmos, onde passamos a ter o carinho e a compreensão que precisamos ter de nós para leva-los aos outros. Aos poucos esse sentimento vai crescendo e chega aos que estão a nossa volta. Daí vamos perceber que já somos capazes de amar por inteiro. Que somos capazes de respeitar as diferenças e amar incondicionalmente. Capazes de amar sem culpas, sem cobranças, sem medo de perder, porque sabemos que nunca estaremos sozinhos, teremos a nós mesmos. Aos poucos vamos descobrindo que temos o domínio de nós e não precisamos entrar em desespero… Mas um amor real, de entrega, de leveza, de ser o melhor que podemos ser e despertar no outro o seu melhor! Não posso amar o próximo sem amar a mim mesmo.

Diácono Carlinhos

Fechar Menu