Garopaba está na expectativa de receber mais doses ainda nesta sexta feira

O Governo de Santa Catarina recebeu nesta quinta, 13, nova remessa com 152.550 doses da vacina contra a Covid-19. Destas, 79.750 são do laboratório AstraZeneca/Fiocruz e 72.800 Sinovac/Butantan. As doses chegaram ao aeroporto, em Florianópolis, por volta das 15h40, e foram encaminhadas para a Central Estadual de Rede de Frio. A distribuição das vacinas começou nesta sexta-feira, 14, pela manhã.

“O Governo do Estado trabalha para distribuir as doses de forma ágil a todos os municípios catarinenses. Nosso objetivo é imunizar o maior número de pessoas para conter a Covid-19. Junto com as equipes de Governo, municípios e população, estamos vencendo essa batalha”, destaca o governador Carlos Moisés.

A partir das 7h, saíram os veículos com as doses das centrais de Rio do Sul, Grande Florianópolis, Jaraguá do Sul, Joinville, Tubarão, Criciúma, Araranguá, Blumenau e Itajaí. O avião do Corpo de Bombeiros Militar decolou por volta das 9h, com as doses para as regionais de Joaçaba, Concórdia, Xanxerê, São Miguel do Oeste e Chapecó. No período da tarde, a partir das 15h, o avião decola novamente com as doses das centrais de Mafra, Videira e Lages. A previsão é que todas as doses sejam entregues a todos os municípios ainda na sexta.

Com mais essa remessa, Santa Catarina soma um total de 2.717.120 doses recebidas até o momento.

Doses da Sinovac/Butantan serão usadas para aplicação da D1

Um total de 43,1 mil doses da vacina contra a Covid-19 do laboratório Sinovac/Butantan serão encaminhadas aos municípios para serem utilizadas como primeira dose (D1). Serão destinadas, prioritariamente, para a vacinação de gestantes e puérperas com comorbidades.

“Devido à suspensão temporária da aplicação de doses da vacina AstraZeneca em gestantes e puérperas com comorbidades, a recomendação é que os municípios utilizem a vacina Coronavac para este público”, ressalta João Augusto Brancher Fuck, diretor da Dive/SC.

Para serem vacinadas, as gestantes e puérperas devem comprovar a condição de risco (comorbidade) por meio de relatório médico com a prescrição da vacina Covid-19, após análise conjunta entre médico e paciente, da avaliação de riscos e benefícios do uso da vacina.

As demais doses deverão ser utilizadas pelos municípios para dar continuidade à vacinação dos grupos prioritários que estão sendo imunizados neste momento: pessoas com comorbidades e deficiência permanente, além dos profissionais das forças de segurança e salvamento.

Estado recomenda a imediata vacinação de portadores de Fibrose Cística

Dentro do grupo de pessoas com comorbidades, a Secretaria de Estado da Saúde orienta que os municípios promovam a imediata vacinação de todos os indivíduos maiores de 18 anos, portadores de Fibrose Cística. Considerando que a Fibrose Cística é uma doença crônica de caráter progressivo, cujos portadores apresentam complicações no sistema respiratório, cardiovascular, além de frequentemente desenvolverem diabetes mellitus, é fundamental que estes indivíduos sejam protegidos da Covid-19 mediante vacinação, o quanto antes. Há uma estimativa de que pouco mais de 86 indivíduos maiores de 18 anos residentes em 43 municípios catarinenses sejam portadores desta doença.

Doses da AstraZeneca/Fiocruz serão usadas para aplicação da D2

Um total de 59.500 doses da vacina do laboratório AstraZeneca/Fiocruz serão encaminhadas para os municípios promoverem a aplicação da segunda dose (D2) nas pessoas pertencentes aos grupos prioritários que receberam a primeira dose (D1) num intervalo de 12 semanas.

As vacinas restantes ficarão armazenadas na Central Estadual da Rede de Frio, devendo ser encaminhadas às UDVEs de acordo com o intervalo de aplicação da segunda dose (D2), conforme orientação do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde.

As orientações para os municípios estão disponíveis na Nota Técnica Nº 20 GEVIM/DIVE/SUV/SES.

Fonte: GSC

Foto: Secretaria de Estado da Saúde

Notícias Relacionadas

Fechar Menu